Ir para a página inicial


São Paulo - Brasil

Notícias

 
PLASMA, LCD, LED TV OU OLED - O QUE SÃO ESTES TELEVISORES?

Foto



Muitos anos atrás, surgiram os primeiros televisores de PLASMA, com melhor qualidade de imagem e telas finas. Após vieram os televisores LCD, depois falaram dos televisores OLED e agora vemos o LEDTV. Afinal, qual a melhor tecnologia?


Ainda na década de 80, pude participar de feiras de tecnologia e audio e vídeo, onde pude conhecer os primeiros televisores de plasma de grandes polegadas, de preços inacessíveis aos consumidores normais (telas mais baratas custando em torno de U$30.000,00).


A idéia básica do PLASMA, era utilizar da mesma técnica dos cinescópios (tubos) com emissão fosforecente, mas que não necessitasse do canhão acelerador de elétrons. Assim, foram criados sub-pixels formados por fósforos R, G e B, que quando excitados, ionizavam um gás que por sua vez, emitiria rais ultravioleta que excitando o fósforo, produziriam a luz visível. Assim, a partir de micro-tubos consegue-se a emissão fosforecente, sem necessidade de canhão acelerador. Com isso, surgiu a tela fina que conhecemos até hoje. O grande problema do PLASMA, que perdurou por muito tempo, era produzir telas menores, para permitir a criação de telas para monitores de computador.


Desta forma, começou-se a pesquisar telas finas e de pequenas dimensões, utilizando tecnologia do LCD. Assim, incorporando tecnologia RGB, os primeiros paineis LCDs, apresentarem imagens com milhares de cores diferentes, pela combinação RGB.


Com o avanço das técnicas digitais, convencionou-se tanto para o PLASMA como o LCD, a utilização da conversão analógica digital em 8 bits para cada sub-pixel amostrado na tela. Isto significava que cada sub-pixel (R, G ou B) poderia ter 256 variações em sua amplitude (do zero ao máximo). Isto pode parecer pouco, mas na verdade o sub-pixel é somente parte da informação do PIXEL. Como temos 3 sub-pixels para formar o pixel, a quantidade possível de cores criadas surge da multiplicação da variação individual, ou seja, 256 x 256 x 256 = 16 milhões de cores na tela.


Com muita rapidez, os monitores LCD de pequenas dimensões foram surgindo e com eles os televisores nesta nova tecnologia. A tecnologia envolvida no painel RGB de LCD é relativamente complexa, pois necessita de uma luz traseira branca (backlight), que passará ou não pelas micro-portas dos cristais líquidos (LCD) e somente após, passará por filtros de cores que tornará a luz branca em R, G ou B. A tecnologia de paineis LCD tem evoluído significativamente, pois os primeiros tinham baixo constraste e pouquíssimo ângulo de visão. Nos dias de hoje, a característica contraste e ângulo de visão, continuam sendo a vantagem do PLASMA em relação ao LCD, apesar de dificilmente serem notados pelo público em geral. A vantagem do LCD é possuir um menor consumo em relação ao PLASMA.


Para diminuir o problema do contraste nos paineis LCD, criou-se o que chamam de contraste dinâmico, onde o brilho da lâmpada de backlight, normalmente florescentes da catodo frio, é controlado de acordo com a luminosidade geral da cena. Apesar de ser ineficaz em cenas que de um lado da tela há muito brilho e de outro, pouco, na medição para fins de características, acabam gerando contrastes de 30.000:1 ou 50.000:1


LED TV


Para diminuir o consumo e conseguir um melhor contraste, o painel de LCD acabou tendo iluminação traseira de LEDs brancos, em toda a tela, e com acionamento destes por área, possibilitando contrastes muito altos (mais de 1.000.000:1).


Uma derivação desta tecnologia é a que está no Brasil, lançada pela SAMSUNG, que é o LED TV, que nada mais é que um painel de LCD, tendo iluminação traseira feita por LEDs nas bordas do televisor. Apesar de não ser tão eficiente quanto o backlight em todo o painel, é visível a vantagem destes em relação a iluminação com lâmpadas florescentes, com relação ao contraste e ângulo de visão, e é claro... menor consumo.


OLED TV


A tecnologia de OLED (Organic Light Emitting Diode), que ainda não está no Brasil em televisores (somente alguns celulares), é uma das mais simples, mas ainda muito cara. Cada sub-pixel é formado por um LED orgânico que emite luz R, G ou B de forma direta, não necessitando portanto, de backlight. Estas telas são ultrafinas - menos de 1mm - e flexíveis, necessitando inclusive de uma base de sustentação para que fiquem planas.


Possuem contraste e ângulo de visão como o PLASMA, peso infinitamente menor, consumo também menor e uma imagem fantástica. Seria a melhor opção se ainda não fosse pelo preço, custando 4 vezes mais que um equivalente LCD.


Para mais informações sobre estas tecnologias acesse o link abaixo do How Stuff works em português:


http://eletronicos.hsw.uol.com.br/led-tv.htm


Um grande abraço


Mário Pinheiro

Contratar Técnicos | NotíciasCadastre-se | Bom Dia | Mural | Contato